Para todos os garotos que já amei.

Lara Jean tem dezesseis anos e vive com as duas irmãs (uma mais velha e uma mais nova) e o pai, que faz de tudo para que as filhas não sofram tanto com a falta da mãe que faleceu alguns anos antes. A irmã mais velha, Margot é quem cuida da casa e da família. Quando ela vai pra uma faculdade na Escócia a tarefa passa ser de Lara Jean.
Enquanto a jovem tenta se adaptar com a falta da irmã e com as novas responsabilidades, sua vida amorosa que até então era quase nula, dá uma reviravolta. Acontece que Lara Jean sempre teve um hábito: ela escreve cartas de amor para os garotos por quem ela se apaixona. São cartas em que ela conta tudo o que sente, mas ela não as entrega. Guarda todas em uma caixa no seu quarto. É escrevendo essas cartas que Lara Jean consegue superar seus sentimentos.
Misteriosamente essas cartas são enviadas aos seus destinatários, e alguns garotos começam a procurar Lara Jean para uma explicação. Dentre os remetentes está Josh, o ex-namorado de Margot! Tentando se livrar da encrenca e pra mostrar que as cartas fazem parte de um passado distante, Lara Jean inventa uma relação com um garoto da escola, que por sinal também recebeu uma carta.
A história é bem fofinha. Acho que o me deixou tão ligada ao livro foram os personagens, que são ótimos. Lara Jean é bem ingênua ás vezes, mas ela é engraçada e muito romântica. O livro não foca só na vida romântica da jovem, dá pra perceber que a autora quis mostrar também a relação familiar. Sempre temos aqueles altos e baixos com as nossas famílias e vemos isso no decorrer da leitura. O texto de Jenny Han é muito leve e rápido.
O final do livro me deixou maravilhada. Apesar de toda a história ter aquele ar de “já vi isso antes” no fim Jenny Han deu um grito de originalidade.   “Se o amor e como uma possessão, talvez minhas caratas sejam como exorcismo. Elas me libertam. Ou pelo menos deveriam.

Anúncios